O Fim do Mundo - ou Como Assim, Pagar pra Tocar violão na Igreja???

Notícia do CristianismoHoje:
Resumindo: pra tocar no culto, tem que pagar.
É mole???
1º ponto: A regulamentação da profissão de músico, como de 99% das profissões, por si só já é absurda ( o porcento restante, que inclui profissões como médico,enfermeiro e advogado, é discutível, mas nunca óbvia); ”caçar” músicos religiosos, mais especificamente cristãos, mais especificamente ainda  evangélicos, para cobrar-lhes dinheiro, é um absurdo “aperfeiçoado”. Cheiraria a perseguição, não fosse uma medida capitaneada por líderes evangélicos. DEPOIS DA LEI DE IMPRENSA, É HORA DE CAIR A LEI 3857/60, A LEI DA MÚSICA.
2º ponto: quase a totalidade dos músicos de igreja, de qualquer igreja e religião, são, como eu, que sou baixista da minha igreja, “músicos” de fim de semana. São pessoas que trabalham como qualquer um de segunda a sexta, no sábado ensaiam um pouco – na semana não dá tempo – pra tocar no culto domingo. A música, para eles, ou melhor,  para nós, a música não é uma profissão, mas uma vocação; não tocamos pra tocar dinheiro, mas para expressar nossa fé; não damos shows, celebramos cultos.
Não se pode pedir carteirinha para alguém poder prestar culto, nem taxar a expressão da fé. ISSO É CRIAR EMPECILHOS AO LIVRE EXERCÍCIO DO CULTO RELIGIOSO DESSES MÚSICOS,O QUE É IMPEDIDO PELA NOSSA CONSTITUIÇÃO FEDERAL (Art. 5º, VI).
3º ponto: e tem gente que acha que Olavo de Carvalho exagera…
Post de 06/08/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário