Argumento Liberal CONTRA a Legalização das Drogas.

Imagine um estabelecimento que cobrasse ingresso para a entrada, uma casa de shows, por exemplo: você paga a entrada, entra, vê o show, se diverte, e na hora de ir embora - você é impedido de sair. Isso é um absurdo, você diria, isso é violação do direito de ir e vir, sequestro mesmo.
Tá. Agora, imagine que, na porta do estabelecimento, estivesse escrito, em letras garrafais: AVISO, QUEM ENTRA NÃO SAI MAIS, ou PROIBIDA A SAÍDA ou CAMINHO SEM VOLTA ou algo que os valham. Então, você entra na intenção de não sair mais, de passar o resto da vida curtindo os shows daquela casa e tal. 
Bom, um dia, ou porque você enjoou do lugar, ou porque o desregramento daquela vida está fazendo mal à sua saúde, ou porque está acabando com ou seu dinheiro, ou porque sente falta da sua família, ou por qualquer outro motivo, você resolva sair do estabelecimento. Entretanto, você não pode sair - e você sabia disso quando entrou. 
É óbvio que isso também é um absurdo, é óbvio que seu direito de ir e vir estará sendo violado e que, a a partir do momento em que você decida sair do local e isso lhe seja impedido, você estará sequestrado. 
É óbvio que o funcionamento de tal tipo de estabelecimento deve ser proibido.
Pois bem, penso que com as drogas se dá algo análogo: não importa se você sabe que tal substância - não me interessa aqui focar em nenhuma específica, embora eu saiba diferenciá-las - vicia ou não, pois a questão não está na conhecimento do sujeito, mas na ação da droga sobre ele. Se ela afeta a capacidade de escolhas livres do indivíduo - e narcóticos não afetam apenas a capacidade de escolher entre parar de drogar-se ou não, nós sabemos - ela atenta contra a liberdade dele (pois, se alguém quer parar de utilizar determinada substância e não pode [e com não pode eu não quero dizer NÃO CONSEGUE por falta de esforço ou persistência mas, NÃO PODE porque isso lhe está quimicamente determinado, impedido]) e deve ser condenada e proibida. Ou sequestros consentidos devem ser legalizados.
P.S.: O argumento ainda não está perfeitamente elaborado, mas o essencial está aí.

A direita está tão mal assim?

É verdade que não temos partido de direita, entretanto, no campo da divulgação de idéias, a coisa melhorou absurdamente nos últimos cinco anos - aliás, a desilusão com a esquerda e  a guinada para o outro lado de muitos - minha - se deu nesse período.
Em 2007, havia apenas dois sites de corrente não esquerdista de peso, o de Olavo de Carvalho (e seu Mídia Sem Máscaras) e O Indivíduo, de Pedro Sette-Câmara e Sergio de Biasi.
De lá para cá, o Movimento Endireita Brasil e o Instituto Millenium cresceram, surgiram o Ordem Livre e
instituto Mises Brasil, a Dicta&Contradicta (revista & site) e o Ocidentalismo.org , fundou-se o Grupo de Estudos da Escola Austríaca - GEAA, na FEA-USP (USP!!!!). Há mesmo tentativas de partidos (Federalista, Libertários, Conservador), porém, sem força.
Sem contar a infinidade de blogs pessoais, como o meu, que, diferente do meu, são escritos por pessoas cultas, inteligentes, que sabem o que estão dizendo.
Entre nós, jovens entre os 20 e 35 anos, as idéias do conservadorismo e do liberalismo nunca estiveram tão divulgadas e, creio eu, é questão de tempo isso dar em algo - e melhor ainda se esse algo não tiver nada a ver com partidos políticos...


O Mal, porquê não???

Mar 7:21-22  Pois é do interior, do coração dos homens, que procedem os maus pensamentos, as prostituições, os furtos, os homicídios, os adultérios,  a cobiça, as maldades, o dolo, a libertinagem, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a insensatez;






Fanatismo religioso, bullying, pulsões sexuais reprimidas, distúrbio mental...
Sempre que massacres como o de Realengo acontecem, mil e uma explicações temerárias aparecem. Entretanto, uma é invariavelmente esquecida: o Mal.
Por quê? Talvez porquê o Mal seja desconcertantemente inxplicável - sim, crer que alguém comete uma atrocidade daquelas sem motivos maiores, por pura maldade, não faz nenhum sentido para nós, deixa-nos sem uma explicação razoável para nossa razão, simplesmente não responde.
Entretanto, penso que existe uma outra razão, não sei se consciente ou inconsciente, para essa repulsa ao Mal como explicação para tais atos: toda pessoa em sã consciência sabe que, lá no fundo, mesmo que seja caridosa, religiosa, boa cidadã, ela é má, ela tem o Mal dentro de si e, no final das contas, ela não é tão diferente assim daquele "monstro".
Penso, porém, que tomar consciência da nossa natureza má, caída, saber que somos capazes, sim, de maldades, atrocidades, de que, na verdade, nossos atos diferenciam-se dos deles mais em termos de grau do que de natureza, porque o Mal nos é natural, em uma palavra, humildade (perante Deus, perante nós mesmos e perante nossos semelhantes) é o melhor antídoto para evitar esses tipos de barbaridades.

Bolsonaro, o nosso bode expiatório??

Bolsonaro conseguiu trazer para si as pechas de direitista, milico, racista e homofóbico, ou seja, ele é o responsável por todo o mal do Brasil. Logo, ele precisa ser sacrificado (sim, ele provavelmente vai perder o mandato), para que a ira dos deuses seja aplacada e a normalidade volte às terras tupiniquins. Após o sacrifício, a paz e a ordem reinarão por aqui por um pouco de tempo - até tudo começar de novo.

Se René Girard estiver certo (e se eu entendi Girard), é isso que vai acontecer.

Quem viver verá.