Como Afonso Poyart Matou 2 Coelhos "Numa Caixa D'Água Só".


Filmes podem ser interessantes por 2 motivos: ou eles tem um bom roteiro, uma boa história, uma narrativa que prende o espectador até a última cena, ou eles são visualmente interessantes, com efeitos, explosões, edições, fotografia etc. & tal. O primeiro tipo de filme costuma ser mais para adultos, sendo densos, mas chatos, tipo teatro filmado; o segundo tipo, mais para adolescentes, sendo divertidos, mas vazios, videoclips de 2 horas.
Pois bem, 2 Coelhos , de Afonso Poyart, é o tipo de filme que une as duas coisas, roteiro e efeitos, história e tiros, diversão e reflexão.


Estão lá os efeitos visuais de videoclip (Poyart dirigiu "Ela Vai Voltar", clip do Charlie Brown Jr. , que já dá pistas do ritmo e dos efeitos que o diretor usa), cenas de explosão, de tiros, fugas de carro, o ritmo Velozes e Furiosos; mas também estão lá um roteiro bem amarrado, não linear, personagens interessantes interpretados por bons atores. No fim, ficam na cabeça fugas, bombas, tiros e reflexões sobre justiça (e vingança), ingenuidade, política e corrupção, amor (não só homem-mulher, mas também o familiar) e mesmo o sentido da vida e da morte (e você pode até discordar da filosofia do Edgar, o protagonista, sem culpa, pois o filme não tem mensagem no final). Isso sem ser uma franquia americana ou um filma francês - ou sendo os dois, à la antropofagia oswaldiana.
Tropa de Elite já tem um filme feito aqui para lhe ombrear.
Ps.: faltou projeção em 3D, mas tudo bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário