Então quem vota nulo não pode reclamar?



Quando digo que vou votar nulo ( a outra opção é votar em branco), a principal crítica que recebo é a de que eu não teria o direito de reclamar depois do candidato vencedor devido à minha "omissão" no processo eleitoral.
Em primeiro lugar, votar nulo ou em branco não é omitir-se, é deixar clara sua discordância quanto às opções oferecidas. Além disso, esse argumento opera uma inversão lógica: é como se o voto te desse direito à participação na democracia, e não o contrário. O me dá direito a reclamar de um estadista é a mesma coisa que me dá direito a voto, isto é, o fato de eu pagar impostos, possuir CPF, respeitar as leis, "ser um cidadão", enfim. O voto é só mais uma das  ações democráticas, e não a porta de entrada da democracia.
De resto, democracia e eleições não são sinônimo de democracia. Lembra de Hitler? Subiu pelo voto. Não seria melhor o voto nulo do que o voto nos nazistas? Pela lógica dos meus críticos, não...
Cidadãos têm direito a voto - mas o voto não torna ninguém cidadão.

Ilusões Políticas - 3 Notas.



1. Taxa de não-votos em São Paulo beira os 30%. Algo parecido no segundo turno minaria a credibilidade do próximo prefeito. Talvez o voto nulo seja uma boa estratégia para liberais, libertários, anarquistas e afins.
PS: já pensou aocntecer com o prefeito de São Paulo o que aconteceu com a próxima prefeita de Criciúma?   Imagina a credibilidade e aforça política de alguém com essa votação. Que tal, libers?
2. Excelente texto de Rushdoony sobre como superestimamos a política - e a igreja, preterindo Cristo. Se algum dia tiver tempo, eu o traduzirei.
3. Excelente - e curto - documentário sobre a crise financeira, abordada sob uma perspectiva da escola austríaca de economia. Em Vimeo, com imagens bem melhores que a do Youtube.

Versão Brasileira, mises.org.br .


*********************************************************************************