Rindo com Deus ou rindo de Deus?


Regina Spektor canta que "ninguém ri de Deus / estamos todos rindo com Deus" em sua belíssima canção que mistura piano e momentos de rap.
Quem assiste a um programa humorístico na TV ou no rádio, entretanto, tem um forte argumento contra a cantora: em 99,9% dos programas ( e eu concedo os 0,1% por pensar que não assisti a todos os programas   de humor na tv brasileira), o nome de Deus é blasfemado, assim como o de Jesus, que é "personagem" de grande número das atrações, caracterizados à la INRI Cristo. Os cristãos são ridicularizados e ofendidos sem menor pudor ( uma das chamadas de South Park, VH1, passa um Mickey dizendo, com todas as letras, que "os cristãos são uns retardados").
Confesso que gosto de assistir programas de humor, especialmente depois de um dia de trabalho cansativo ou preso no trânsito, mas está cada vez mais difícil, para mim, ser audiência desse tipo de atração. Me sinto, mais do que zombado, ofendido. Não se trata mais de simplesmente se opor aos valores cristãos, mostrando sensualismo barato, linguagem vulgar, trocadilhos infames, divulgando hedonismo e cinismo, não. Enquanto era assim, eu simplesmente fingia que não era comigo. Agora, entretanto  eles simplesmente tiram sarro do meu Deus como se fosse uma celebridade de Youtube num vídeo engraçado; ridicularizam a meus irmãos - e a mim - em rede nacional, o que é crime (art. 208 do Código Penal); parodiam os hinos que canto ao meu Deus, tornando-o tão babacas quanto uma música dos Mamonas Assassinas; zombam da minha fé como se fosse a crendice mais irracional e burra; atacam meus valores como se não valessem nada.
Tem me incomodado - cada vez mais - coisas como a ridicularização de Flanders nos Simpsons, a  ridicularização que Danilo Gentili faz com seus "negócios de crente" e a exposição de sua ex-namorada de quando era presbiteriano ou as repetidas vezes em que passa o vídeo de "Para Nossa Alegria" no Pânico ou outro programa (embora entenda as intenções dos meninos que fizeram o vídeo, a maioria da pessoas jamais entenderá a beleza e verdade da letra de "Galhos Secos" por causa disso). E isso porque eu tenho percebido, cada vez mais, que quando eu dou audiência para isso, eu tenho ridicularizado a mim mesmo e ao que me é mais caro. Eu simplesmente tenho sido o bobo do meu próprio circo.
Hebreus 11:36 relata que um dos meios de perseguição aos cristãos era escarnecê-los. Bom, ainda é. Jamais me permitirei dizer que somos perseguidos aqui no Brasil, pois isso é um desrespeito aos antigos e modernos mártires. Não posso fingir, entretanto, que o mundo me odeia e odeia o que mais amo. Se as leis me protegem, se eu posso retrucar, nada disso muda o fato de que o mundo odeia a Cristo e, por isso, me odeia, a mim e a meus irmãos. E eu simplesmente não posso ser aliado do mundo nem negligente com ele. Não posso assistir a meus irmãos sendo feitos de bobo dessa corte como se eu também não estivesse com eles. Sim, eu ainda assisto, mas cada vez menos e cada vez mais indignado, ofendido. Que Deus continue sua obra em mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário