Um Argumento A Favor de Deus - A Primeira Origem sem Princípio.

Não estou convencido de que este argumento seja original, embora não me lembre de a quem possa atribuí-lo. Quem souber os créditos, por favor, postar nos comentários. Minha maior preocupação não é ser original.
Também não estou convencido de que este argumento "prova" a existência de Deus, porque ele não chega ao Deus pessoal. Por isso digo que é um argumento "a favor" de Deus. Não que Ele precise... Nós precisamos.
Feitas essas ressalvas, vamos ao argumento.
Sabemos, desde Descartes, pelo menos, que é certo que
(I) Eu existo.
Se (I), ou (II') Eu sempre existi ou (II'') Eu existo desde um ponto no tempo em que surgi.
(II') é obviamente falso, portanto (II'').
Se (II''), ou (III') Eu me auto-gerei ou (III'') Eu surgi do nada ou (III''') Surgi de algo.
Ora, (III') é obviamente falso e (III''), pois do nada, nada surge. Portanto, (III''')
Se (III'''), então (IV) Um outro (coisa/pessoa) existe.
Se (IV), ou (V') Esse outro sempre existiu ou (V'') Esse outro existe desde um ponto no tempo.
Se (V'), então (VI) Há um outro sem princípio, pois sempre existiu, que é a primeira origem.
Se (V''), então ou (VII') Esse outro se auto-gerou ou (VII'') Esse outro surgiu do nada ou (VII''') Esse outro surgiu de algo.
(VII'), pois nada pode se auto-gerar, pois não pode ser anterior a si mesmo, e  (VII'') é falso, pois nada surge do nada, então (VII''').
Se (VII'''), então (IX) Um outro (coisa/pessoa) existe.
Ora, (IX) é igual a (IV).
Portanto, ou (X) Há uma número infinito de outros que me antecedem em origem no tempo ou (XI) Há um outro sem princípio que é a primeira origem.
(XI) é obviamente falso, pois não é possível que haja antecedentes meus e número infinito, pois o tempo passado não é infinito, portanto (XI).

Nenhum comentário:

Postar um comentário