Soneto.


É preciso voltar ao mesmo assunto
Sempre, refletir nele toda a vida,
Dentro do coração trazê-lo junto
De si, mas como coisa não sabida

Os seus olhos lançar sobre o tal tema
Qual se nunca tivesse dele ouvido
Ou como se ele fosse um bom poema
Que precisa ser mil vezes relido,

Pois tem mil lados, todos diferentes
Mais parecendo serem outras coisas
Que parte de um só todo uno, pois as

Respostas, a não ser as que inventes,
E embora sempre únicas e exatas
Nos chegam aos pedaços pelas datas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário